06 junho 2006

Os Bárbaros

Rodrigo Constantino "Não devemos aceitar sem qualificação o princípio de tolerar os intolerantes senão corremos o risco de destruição de nós próprios e da própria atitude de tolerância." (Karl Popper) A Câmara dos Deputados foi vítima de brutal vandalismo por cerca de 300 manifestantes ligados ao Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), uma dissidência do MST liderada por um petista. Vidros foram quebrados, paus e pedras foram jogados e funcionários foram agredidos, um deles indo parar na UTI. O grupo é o mesmo que havia invadido o prédio do Ministério da Fazenda no ano passado. A lista de crimes perpetrados pelo MST e seus similares é longa, incluindo até seqüestro. Pouco tempo atrás, um laboratório da Aracruz foi destruído. Seus líderes, que deveriam estar atrás das grades, não apenas perambulam soltos por aí, como são recebidos por autoridades governamentais e agraciados com generosas verbas federais. O crime, no Brasil, compensa.

2 comentários:

Isaias Lobao disse...

Estou indignado com o MLST.

As cenas de caos que foram vistas por todos demonstram a falácia dos
argumentos marxistas defendidos por este movimento. Eles se
consideram trabalhadores sem terra, mas na realidade são criminosos.
Marginais que buscam subverter a ordem democrática com
seu "movimento" ou melhor dizendo, sua quadrilha.

Vi funcionários da câmara, repórteres,dentre outros, correndo como
loucos para não morrer. Sim, porque a "manifestação pacífica",
liderada pelo assessor de movimentos sociais do governo do PT,
estava armada de paus, pedras, pedaços de metal e orientados pelo
ódio gratuito, se lançava ferozmente contra pessoas inocentes.

Li que um dos coordenadores de segurança da câmara está
hospitalizado. Ele tem nome: chama-se Normando Fernandes. Teve
traumatismo craniano e edema cerebral. O ambulatório da Câmara
registrou o atendimento de 41 pessoas. Desse total, 26 tiveram
ferimentos considerados graves e 15 fizeram curativos.

A comissão que estava votando o processo de cassação de José Janene
teve que supender seus trabalhos. Será que tudo não passa de uma
grande conspiração, para livrar os mensaleiros? Depois de um ano, a
pizza está a disposição de quem quiser.

Li também que a comissão de direitos humanos foi visitar a "prisão"
dos Sem Terra no ginásio e viu que eles não estavam sofrendo "maus
tratos". Bom, mas eu não li em nenhum lugar que eles foram visitar
alguma vítima dos atentados.

O MST, MLST, o eme sei lá o quê, recebe apoio institucional do
governo do incompetente e incoerente Lula. Suas "marchas" são
patrocinadas por governos estaduais e municipais, com escolta,
alimentação e hospedagem.

A maioria dos membros desta facção do crime organizado, nem precisa
de terra, mas se sente feliz em atacar trabalhadores.

Denise disse...

Realmente foi lastimável, como é lastimável todo este sistema de nossa política nacional.