24 julho 2008

Hugo Chávez, a chave que poderá abrir as portas da América do Sul à Rússia

O gorverno venezuelano de Hugo Chávez, que já gastou US$ 4 bilhões em compras de armamentos da Rússia, agora propós a criação de uma base militar deste país em seu território. (Foto ao lado: Presidente russo, Dmitri Medvedev, recebe Chávez em Moscou; AP)

2 comentários:

Sammis Reachers disse...

Bem, se os americanos podem estar na Colômbia, os antigos camaradas podem estar na Venezuela. Por quê não? Ambos não querem apenas LEVAR VANTAGEM?
E o editor que adivinhar em cima de quem eles querem se dar bem ganha a obra completa de Keynes, em inglês!

O blá-blá-blá ideológico só complica o que é muito simples - o eterno egoísmo humano, a lei da vantagem. Todos querem levar vantagem, todos corrompem, torturam, detonam para obtê-la. Como alguém pode tomar um partido 'ideológico', senão o do próprio país em que vive (onde vivem nossas mamães também)?

a.h disse...

Caro Sammis,

Há uma diferença, nada insignificante, entre “estar na Colômbia” financiando o combate ao narcotráfico e à guerrilha maoísta e “estar na Venezuela” apoiando um governo inconstitucional, que seguidamente ataca o estado de direito, o livre-arbítrio e a liberdade de expressão. No primeiro caso, eu tomaria “o partido do país”, governado por Uribe, caso fosse colombiano; no segundo caso, eu não tomaria “o partido do país”, (des)governado por Chávez, caso fosse venezuelano.

Mas, como sou brasileiro e respeito o direito de propriedade, de liberdade de expressão, de liberdade de culto e de livre-empreendedorismo, dentre outros, tomo o partido de Uribe e Washington contra Chávez e Moscou porque minha consciência se pauta por valores universais contra os nacionalistas.